aventuras estranhas

Rio de Janeiro, 2018

Série de ações.

      baixar projeto

aventuras estranhas teatro caminho Carolina Calcavecchia

Munido de um regador de dez litros, Ricardo Cabral regou o chão (não a terra nem os canteiros) da praça Mauá, da praça Tiradentes e do largo da Carioca. Rafaela Amodeo cruzou a avenida Rio Branco costurando à própria roupa os lixos que encontrava pelo chão.

Chris Igreja saiu com uma vara de pescar e iscas variadas (um celular, um par de sandálias, uma nota de cinco reais, entre outras) e passou a tarde pescando pessoas pela rua. Anna Clara Carvalho se vestiu de super-heroína com um maiô vermelho, patins e uma capa turquesa onde se lia “POSSO AJUDAR” – e passou uma tarde se disponibili-zando a ajudar estranhos na praça Mauá. Nina Harper ofereceu um aulão de subidas em árvore no canteiro central da avenida Presidente Vargas.

aventuras estranhas teatro caminho Carolina Calcavecchia

O relógio marcava pouco mais de dez horas da manhã de uma terça-feira de março. Éramos nove artistas em roda, algumas cangas sobre o concreto ainda frio, uma cesta com maçãs, bananas e cachos de uvas e meia dúzia de garrafas d’água espalhadas pelo chão. Fazia menos de dez dias da execução da vereadora Marielle Franco (até hoje sem resposta) e ainda respirávamos luto. Ali, naquela manhã, nos colocávamos a mesma pergunta que a artista Eleonora Fabião faz a Marcio Abreu numa troca de e-mails publicada pela revista Sala Preta: como responder propositivamente, e não reativamente, diante do atual estado das coisas? Repito: como responder propositivamente, e não reativamente, diante do atual estado das coisas?

Depois de quatro rodas de conversa, sempre em espaços públicos pelo Centro do Rio, arriscamos que experimentar aventuras com estranhes pela cidade poderia abrir espaço para outras cidades possíveis dentro da nossa própria cidade. Aventura, do latim ad venire, significa se aproximar; ir na direção (ad) das coisas que vêm até nós (venire). Aventura é movimento de encontro: as coisas, no plural mesmo, estão vindo em nossa direção e nós vamos até elas. É pura pororoca.

A série de ações deu origem a dramaturgia do espetáculo 'Amazona', que o grupo estreou em outubro do mesmo ano.

artistas Andrêas Gatto, Anele Rodrigues, Anna Clara Carvalho, Camila Costa, Carolina Calcavecchia, Chris Igreja, Elmir Mateus, Gunnar Borges, Jefferson Santos, Mariah Valeiras, Mauricio Lima, Mayara Máximo, Nina Harper, Rafael Ribeiro, Rafaela Amodeo, Rafaela Azevedo e Ricardo Cabral
orientação de pesquisa Livia Flores
fotografias Carolina Calcavecchia e Marcela Antunes